Pular para o conteúdo principal

Quais os caminhos para o RH entender a cultura da empresa?

Patrícia Bispo

O DNA da empresa. É dessa forma que muitos especialistas organizacionais consideram a cultura organizacional, afinal é através dela que se revelam os valores, a missão e a visão que norteiam como as pessoas devem ou não agir no dia a dia. Vale ressaltar que o comportamento dos profissionais também influencia a cultura corporativa, isso porque são as pessoas que fazem as empresas. Isso faz com que a área de Recursos Humanos necessite entender, de fato, a cultura da empresa Só assim realizará uma atuação estratégica. Confira abaixo algumas ações simples, mas que facilitam o RH a assimilar o DNA da corporação em ele atua.

1 - A cultura organizacional revela-se através dos colaboradores, ou seja, da forma como eles agem no dia a dia. Para isso, o profissional de Recursos Humanos precisa sair da sua sala e não ficar apenas "atrás da mesa". Ou seja, valorizar a comunicação face a face.

2 - Conversar, sempre que possível, com os profissionais dos variados departamentos e níveis hierárquicos é uma ótima estratégia para sentir como os colaboradores comportam-se diante de situações ou assuntos relacionados direta ou indiretamente à empresa.

3 - Ao estreitar o relacionamento com os demais profissionais, o RH passará a ser visto como um aliado não apenas da empresa, mas também como alguém que está ali para melhorar o dia a dia de todos os colaboradores.

4 - Nos eventos comemorativos, onde sejam realizadas atividades como, por exemplo, jogos, gincanas, a área de Recursos Humanos pode e deve enviar representantes, mesmo que seja para ficarem na "torcida". Isso certamente estreitará o relacionamento com os funcionários, afinal o RH também faz parte da empresa.

5 - Ao conhecer a cultura corporativa, a área de RH tem mais chances de identificar as necessidades dos colaboradores e saber quais os pontos de resistência que precisam ser "quebrados" e, consequentemente, melhorar o clima organizacional.

6 - A cultura da empresa permite que a área de RH identifique quais os pontos comportamentais que precisam ser desenvolvidos junto às equipes. Se um programa de mudanças está prestes a ser implantado, o profissional de Recursos Humanos terá "sensibilidade" para trabalhar questões delicadas como quebra de paradigmas.

7 - Quando a área de RH assimila a essência da cultura da empresa, passa a ser um parceiro estratégico do negócio. Isso porque ao conhecer os valores, a missão e a visão organizacional tem condições de apresentar propostas com chances significativas de retorno.

8 - Outro fato relevante que contribui para a atuação do colaborador, é que ao entender a cultura da empresa onde ele atua, terá mais chances ver suas propostas aceitas pela alta direção. Afinal, os dirigentes corporativos também precisam ser compreendidos e só assim é possível apresentar argumentos ou mesmo chegar a um denominador comum, quando também se esta em sinergia com os dirigentes.

9 - A cultura organizacional também revela o comportamento dos líderes. Quando um programa, um projeto é implantado, o RH necessita ter proximidade com os gestores, pois eles serão os agentes disseminadores das inovações.

10 - Existe uma ferramenta muito valiosa que auxilia o RH a entender melhor a cultura da sua empresa: a pesquisa de clima organizacional. Através dela, é possível identificar o comportamento das pessoas que fazem a empresa. Por isso, ficar atento aos resultados obtidos por esse instrumento "abre" caminho para novas ações focadas em Gestão de Pessoas.

Comentários

  1. Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Novas regras para o seguro desemprego

A nova regra determina que o empregado que negar duas vezes a uma vaga de mercado ficará sem o seguro. Os trabalhadores que dependerem do seguro desemprego devem ficar atentos às novas regras do Governo Federal. Entre as novidades estão a suspensão do benefício para quem recusar a segunda oferta de emprego de trabalho. O Secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos informa que a regra já entrou em vigor dês do dia 04/04/2011. Na prática, isso significa que o trabalhador, ao dar entrada no seguro desemprego, vai fazer um cadastro com o seu perfil profissional. Esses dados serão compartilhados automaticamente entre as empresas que estão com vagas em aberto, via internet. Caso seja detectado que há vaga que combine com o perfil do trabalhador, será feito o encaminhamento pelo Sine. Se a empresa entender que o perfil daquele profissional atende ao que está sendo pleiteado, o trabalhador poderá ser empregado. O desejo da criação da nova regra parte do pressuposto que todos os tr…

Como fazer um script eficaz para atendimento

Um script eficaz exige muito mais do seu autor do que apenas passar as informações que o cliente precisa saber sobre o produto. Mas, você sabe como construi um?

No mundo atual, prender a atenção de uma pessoa do outro lado da linha é uma missão cada vez mais difícil e para isso as empresas de contact center têm se preparado.

Aquele texto robotizado que parece ser proclamado por uma máquina, e que não está aberto a perguntas ou interrupções, ficou no passado. O diretor de clientes da empresa Atento Flávio Henrique Ribeiro diz que os roteiros das operações são feitos em conjunto com o cliente, buscando aperfeiçoar o atendimento. “A empresa se dedica a conhecer a fundo cada operação. Procuramos desenvolver linhas de argumentação para evitar a robotização no atendimento”, afirma Ribeiro.

Apesar desse engajamento entre empresa e cliente, o diretor ressalta que é necessário certificar-se de que o operador está no ambiente certo. Cada pessoa tem um perfil diferente e não há roteir…

As vantagens e desvantagens da Dinâmica de Grupo

Apesar de ser temida por alguns candidatos, especialista garante que técnica pode identificar características necessárias para a vaga.Em processos seletivos de diversas empresas, a fase que segue a seleção do currículo é a famosa Dinâmica de Grupo – para receio de muitos candidatos, que consideram essa a etapa mais difícil, principalmente para os mais tímidos e introspectivos. Porém, para o selecionador, as atividades em grupo solicitadas durante o processo, quando bem aplicadas, são capazes de mostrar características e habilidades que serão necessárias para determinada vaga.
As Dinâmicas de Grupo são muito usadas para seleção de estagiários ou trainees. Na seleção de cargos executivos e gerências, são raros os processos que incluem a entrevista em grupo. "O querem observar nesses processos é interação entre os candidatos. Os especialistas vão buscar sinais de liderança, capacidade de trabalho em equipe ou o contrário, tudo dependendo do perfil que a vaga em questão ex…