Pular para o conteúdo principal

Cinco motivos que levam uma pessoa a mudar de emprego.

Chefias, salários baixos, desmotivação, falta de reconhecimento e a inexistência de um plano de carreira, estão entre as razões que levam os trabalhadores a buscar um novo emprego.

Perder um bom colaborador é algo terrível. Existe o custo de encontrar, integrar e treinar seu substituto, além da incerteza sobre o desempenho do novo colaborador.
Quando o profissional deixa de sentir que a empresa é boa, é necessário pensar em mudança.

Às vezes, há uma sólida razão por trás da decisão de ir embora — problemas de relacionamento, motivos pessoais ou uma proposta muito boa para ser rejeitada. 
Mudar de emprego pode ser uma transição difícil na vida de muitas pessoas, mas se o profissional já não se sente pertencente à empresa, não há nada que você possa fazer. 

E quanto ao resto?

Manter seus melhores colaboradores começa com entender o porquê de as pessoas saírem.
Para facilitar, listamos os cinco principais motivos que levam as pessoas a trocar de emprego.

 Chefe – O chefe deve motivar, transmitir segurança e desenvolver sua equipe. Existem chefes que são incapazes de elogiar os colaboradores por um trabalho bem feito, negando-lhes o prazer de serem reconhecidos.  As pessoas insatisfeitas na maioria das vezes se demitem dos seus chefes e não das organizações.

Salário – Pode parecer uma coisa óbvia, mas ter um bom salário motiva as pessoas a permanecerem nos seus empregos. Não adianta propiciar um ambiente agradável, se o salário não condiz com a expertise do colaborador.

Reconhecimento – Mesmo as pessoas mais altruístas querem ser reconhecidas e recompensadas por um trabalho bem feito. Faz parte da essência do homem. Quando você deixa de reconhecer o esforço de seus colaboradores, você não está só os desmotivando, mas também perdendo a maneira mais eficaz de gerar bons resultados. O reconhecimento é um fator importante para o desenvolvimento de um profissional. Às vezes ele vale mais que um aumento de salário.

Motivação – Olhe em volta da sua empresa. Os colaboradores parecem felizes? Existe uma energia positiva que é transmitida em todos os setores? Se não, porque isso não acontece? O local de trabalho não precisa ser um ambiente pesado. Claro que não precisa ser uma atmosfera de festa o tempo todo, mas deveria ao menos ser agradável. As pessoas se desenvolvem quando elas estão motivadas e felizes com ambiente de trabalho, com seus gestores, com reconhecimento e com sua carreira.

Carreira – Ninguém gosta da ideia de estar no mesmo lugar, fazendo as mesmas coisas, por um período muito longo. Por mais que você ame seu trabalho, novos desafios e atividades são importantes para seu crescimento. As pessoas gostam de sentir que ainda podem crescer em suas carreiras e que todo o trabalho duro será recompensado. Nós precisamos de aspirações. Se não há um plano de carreira e estrutura para o crescimento dos colaboradores, eles provavelmente procurarão isso em outro lugar.

Pense nisso!
Não perca talentos.
Por Danielle Antunes - Especialista em Gestão com Pessoas.

Comentários

  1. Muito verdade. Gostaria de poder me identificar, pq a trabalho em uma empresa que é exatamente assim. E eles não perceberam que as pessoas estão desmotivada e que estão pedindo p sair.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, vocês sempre trazendo conteúdos atuais. Sucesso sempre.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

eSocial - O que é?

O eSocial
O eSocial é dos componentes do Sistema Público de Escrituração Digital ( SPED) instituído por meio do Decreto nº 8.373/2014. Sua função principal é formalizar digitalmente as informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais relativas a todos os empregados e empregadores, tanto da iniciativa privada quanto pública.
Todos os empregadores pessoa física ou jurídica, urbana ou rural, cooperativas, instituições sem fins lucrativos e administração publica municipal, estadual e federal, estão obrigados ao cumprimento das normas e prazos previstos para a entrega dos eventos do esocial.

Objetivos

Substituir de forma gradualvárias obrigações acessórias, na qual possibilitará a correta apuração dos tributos, contribuições e do FGTS;

Substituição das principais obrigações acessórias como: Sefip/Gfip, Grrf, Caged, Dirf, Rais, CAT, LTCAT, PPP e Livro de Registro de Empregados;

Reduzir a redundância de informações;

Garantir os direitos dos Trabalhadores;

Simplificar o cumprimento das obrigações p…

Contact Centers: como testes e monitoramento podem tornar o trabalho dos agentes mais fácil

Publicado em 20/01/2011 por Valentín Valle Em artigo exclusivo para o Portal Call Center Valentín Valle, diretor de desenvolvimento de negócios da Empirix para a América Latina, explica como facilitar o trabalho dos agentes de atendimento.
De acordo com um estudo realizado pela E-Consulting, em 2010, a expectativa é que o faturamento do setor de contact center no Brasil seja de aproximadamente R$ 26 bilhões, em comparação a R$ 23 bilhões no ano anterior. Acompanhando esse crescimento, a previsão é que o número de funcionários aumente de 1,33 milhão para 1,39 milhão de profissionais que trabalham nesse mercado fundamental para o sucesso dos negócios das empresas.
Frequentemente, o setor de contact center também representa a primeira oportunidade de emprego de muitos jovens, que estão iniciando suas carreiras.Uma prioridade  constante dos contact centers é descobrir uma forma de proporcionar tecnologias e ferramentas fáceis de usar, com informações úteis, e que realmente facilitem o trabal…

Está com dificuldade em organizar seu tempo? Veja aqui algumas dicas!

O tempo...
Não existe recurso mais valioso e escasso que o tempo. E também não há no mundo dinheiro que faça o tempo voltar.
Saber administrar o tempo é uma das ações mais importantes que o ser humano pode fazer para melhorar suas chances de sucesso no dia e nos negócios.
O mundo está cada vez mais corrido e agitado. A tecnologia nos deu o poder do imediatismo, estamos cada vez mais conectados, temos as informações que queremos e quando queremos na palma da nossa mão. Com a facilidade em obter informações, parece que o tempo está cada vez menor para realizarmos nossas tarefas diárias, 24 horas já não são o suficiente para um dia.
Mas o que fazer? Onde está o erro?
Sabemos que não é possível aumentar o dia para 25 horas ou mais e mesmo que fosse, não seria a solução. É preciso saber priorizar o que é urgente do que é importante, criar uma rotina, executar uma tarefa de cada vez e se organizar.
Que tal fazer uma gestão das tarefas e tempo utilizando a  tecnologia a seu favor?
Eu por diversas…